Elementos especiais na transcrição

Elementos especiais na transcrição

Elementos especiais na transcrição.

Elementos especiais na transcrição, isso existe? Sim. Apresentamos logo abaixo:

Marcação de tempo

Normalmente fazemos uma marcação de tempo toda vez que ocorre uma ininteligência, imediatamente após, sinalizando-se conforme o exemplo abaixo.

Exemplo 1: (inint) [00:00:00] onde se marcam as horas, os minutos e os segundos em que se ocorreu o fato.

Exemplo 2: (hipótese) [00:00:00] você pode marcar também as hipóteses de fala com tempo, mas isso não é exigido pela maioria dos sites.

Elemento timestamp

O elemento time stamp é uma marcação no início de cada página da transcrição e pode ser demarcada à razão de uma ocorrência por página de seu trabalho. Convém que a marcação do time stamp.

Exemplo: [00:00:00] –—- TIME STAMP –—-

Nós mesmos, nós preferimos uma marcação na primeira linha ou ainda, quando não possível, na primeira linha depois da primeira fala transcrita. Muitas vezes, em uma palestra de uma hora, convém marcar entre as dez primeiras linhas.

É recomendável que o time stamp seja feito na última revisão, quando o seu trabalho estiver na fase final do acabamento, muitas vezes na última revisão, obedecendo o leiaute de entrega, o que torna agradável e fácil essa marcação.

Hifens para silabação

Uma forma de as pessoas destacarem algum ponto em uma fala é falar mais alto determinada palavra, ou ainda proferir a palavra silabicamente.

Exemplo: Olha, eu fiquei cha-te-ada com você.

Não é exigido isso na transcrição comercial, mas se for uma transcrição baseada em fonografia, é possível que seja isso pedido, então fica como curiosidade.

Destaques fonográficos

Outro recurso muito utilizado em transcrição de valor linguístico é o uso, além da silabação, de letras maiúsculas para destacar uma sílaba que foi pronunciada em tom mais alto.

Exemplo: QUEM? Fala mais alto. Mais ALto.

Essa representação é possível. Pode-se usar a combinação da silabação com o destaque em caixa alta (letras maiúsculas).

Exemplo 2: QUEM? Fala mais alto. MAis-AL-TO.

A combinação de recursos é possível em uma transcrição fonográfica, por exemplo.

Sobreposição de falas

Normalmente sinalizamos como ((sobreposição de vozes)) para indicar essa ocorrência, nos utilizando de comentários do transcritor.

No Brasil preferimos esta representação. Já em Portugal…

Em Portugal é mais prático, utiliza-se o sublinhado, o que nos parece um recurso muito inteligente. Suponha a fala abaixo.

P – E é verdade que a coligação dos partidos de direita com a centro-direita… você concorda?

R – Eu acredito que sim.

Na fala de ‘R’ respondendo a ‘P’, percebemos facilmente onde é que houve a sobreposição. Para uma sequência de sobreposição de vozes, nossa sugestão seria usar sublinhado duplo de forma intercalada com a simples. Já utilizamos com bons resultados, mas temos apenas sinalizado uma vez nos utilizando de ((sobreposição de vozes)) ao final da frase que foi submetida à sobreposição.

Gaguejamentos

Gaguejos não são raros. Ocorrem em situações de estresse na comunicação, onde o cérebro luta para encontrar palavras não naturais a linha de pensamento. Para representar gaguejos, frequentemente vimos duas formas.

A primeira forma se utiliza da representação de gaguejos através de uso de reticências, como no exemplo abaixo.

Exemplo: O… o… o negócio foi que… que deu errado.

A segunda forma não utiliza reticências.

Exemplo 2: O o o negócio foi que é que deu errado.

Preferimos a primeira forma, que está mais de acordo com a filosofia de representar uma interrupção (micropausa).