Observações sobre produtividade do transcritor

Observações sobre produtividade do transcritor

Observações sobre produtividade do transcritor.

Observações sobre produtividade do transcritor na revisão de textos nos permitiram notar alguns fatos interessantes. Frequentemente notamos que a primeira terça parte de um trabalho vem com poucos erros. A frequência desses erros vai aumentando no decorrer do trabalho, e quanto mais próximo do final percebemos que os erros vão aumentando.

Notamos então que a produtividade vai caindo no decorrer do dia de trabalho. E quais as possíveis razões dessa queda de produtividade?

Os limites de acuidade

Acuidade é uma medida de qualidade. Onde houver uma intervenção do revisor, marca-se a linha toda como tendo sofrido essa intervenção. Divide-se esse número de linhas pelas linhas em que não houve intervenções. Assim, surge uma porcentagem de linhas com acerto.

Quando a Acuidade chega a 98-99 por cento, a probabilidade de haver erros chega a quase zero em palavras com erro, o que torna a transcrição portadora de um índice de acertos de 99.8 por cento.

Tentar chegar acima desse índice significa empreender energia para pouco resultado, e levaria a mais horas de trabalho sem necessidade, fazendo ficar mais caro o serviço oferecido.

Produtividade em queda

No decorrer do trabalho, notamos o aumento de erros na transcrição. Os erros detectados vêm ocorrendo da seguinte forma. Nos primeiros 5 minutos do áudio, há um desconhecimento sobre o assunto e pouca familiaridade com as vozes dos falantes, tendo um número de erros alto.

Daí, dos 5 minutos até os 20 minutos, há poucos erros. A partir dos 20 até 40 aumenta a frequência e nos 20 minutos finais, se a pessoa não tiver descansado um pouco, os erros aumentam mais.

Isso é provocado pelo desgaste da atividade de ficar sentado longos períodos de tempo, mas também a condição emocional do transcritor afetam sobremaneira a qualidade do trabalho.

Fatores emocionais de foro interno

O fator mais importante é o sentimento da pessoa. O que a pessoa está sentindo naquele momento ou naquele dia ou naquele período de trabalho? Por exemplo, um dos casos mais graves é o falecimento de um familiar ou ente querido.

A saúde emocional também é importante. Relacionamentos recém-terminados ou ainda um sentimento de rejeição podem prejudicar a pessoa em seu trabalho.

Outro fator importante é como anda a saúde da pessoa. Problemas com a saúde e outras preocupações menores acabam por interferir na qualidade do trabalho.

Fatores emocionais de foro externo

Neste meio, o teletrabalho implica um relacionamento escasso e pobre com o contratante. Muito dificilmente se cria um vínculo entre as pessoas que trabalham pela internet. Assim como é fácil dar calote, é frequente o transcritor receber vários calotes e isso aborrece profundamente quem trabalhou duro para produzir um trabalho decente.

Não é à toa que a parte mais estressante ao lidar com o transcritor é justamente a parte financeira, situação extremamente sensível no relacionamento entre uma organização e seus colaboradores.

Como identificar o nível de estresse

Normalmente o nível de estresse pode ser medido pelo tom de respostas dadas pelo transcritor no e-mail, onde há uma agressividade – grosserias, até – e se perde o limite exigido em uma boa comunicação formal.

São frequentes as faltas de agradecimento, o “por favor”, “solicito ajuda” entre outras expressões que amenizam um sentimento de insatisfação talvez. Alguns tentam até mesmo testar a hombridade, do tipo “se você for homem, me paga o valor”, e outras frases de tom provocativo.

Ao enfrentar qualquer tipo de contrariedade, a agressividade que surge nos e-mails chega a ser tenebrosa muitas vezes chegando a grosserias e falta de educação.

Todo o conteúdo do Blog da transcrição de áudio.